Ação Educação Democrática recebe apoio do FNPE

Ação Educação Democrática, organizada pela ANPEd em parceria com o Movimento Educação Democrática, expande seu campo de atuação e alcance com o envolvimento do Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), definido em plenária. A Ação é tida por diferentes segmentos e pesquisadores da área como uma das mais importantes movimentações para 2019 em torno da defesa da educação pública e dos princípios democráticos.

O objetivo é estimular instituições de ensino (seja na educação básica ou superior) e parceiros diversos a desenvolveram estratégias que respondam à atual conjuntura política brasileira, no sentido de pensar estudos e ações políticas que possam garantir condições para o exercício do direito à educação democrática, pública, gratuita e laica em todos os níveis e graus.

 

 

O site da Ação Educação Democrática (clique aqui para acessar) já se constitui como um repositório de ideias de modo a fomentar trocas, inspirações, roteiros e possibilidades de ações que poderão tomar características locais, refletindo possibilidades e parcerias em cada contexto institucional. Os executores da atividade são um sem número de parceiros, que vão desde programas de pós-graduação em Educação, faculdades de Educação, escolas públicas e privadas a museus, organizações não governamentais e fóruns de discussão de temas em educação. Propostas que queiram ser disponibilizadas no site, assim como dúvidas, devem ser enviadas para o endereço [email protected]. Participe!

A ação pode ser desenvolvida nos mais diferentes formatos e duração, como  disciplinas obrigatórias (eletivas ou optativas), cursos, extensão, séries de palestras, aulas públicas, rodas conversas, dentre outras, com o intuito de se iniciar no primeiro semestre de 2019.

A partir deste importante eixo – educação e democracia – podemos construir um terreno de liberdade de expressão e ensino em sala de aula, garantir condições dignas para o exercício da carreira docente nos vários níveis, investir na educação das relações étnico raciais, exercitar o diálogo entre os valores da escola republicana e os valores das culturas juvenis, valorizar a escola como um espaço público de acolhimento da diversidade, dar a devida importância às questões de gênero e sexualidade na formação integral de crianças e jovens.

A ideia desta atividade surge dentro da programação da Reunião Científica da Regional  ANPEd Sul, realizada em Porto Alegre, em julho de 2018. A proposta foi encampada pelo GT 23 - Gênero, Sexualidade e Educação e pela totalidade dos Grupos de Trabalho (GTs) e diretoria da ANPEd Nacional. No período em que a ANPEd completa 40 anos, a Associação tem participado de diversas ações - como o Manual de Defesa Contra a Censura nas Escolas - numa permanente resistência criativa em defesa da educação democrática, pública, laica, antimachista, antirracista, antilgbti+fóbica, de qualidade social. "A Ação Educação Democrática propõe levar essa luta para as salas de aulas das universidades, escolas, fábricas e praças nos movimentando como uma onda de cursos, seminários e palestras para pensar, debater, criar conhecimentos e enredar as pessoas em torno do que acreditamos e praticamos: a educação democrática com solidariedade, comprometida com a  justiça social e caminhando para o Sul epistemológico", afirma Maria Luiza Sussekind, Segunda Secretária da ANPEd.

Para Fernando Pena, um dos coordenadores do Movimento Educação Democrática, "essa é uma das iniciativas mais importantes para a Educação em 2019. Se todos participarem nós teremos condições de fazer uma grande onda pela Educação Democrática, uma grande discussão, pautando este tema em 2019 neste contexto problemático".